Um domingo arruinado…

E Ela pegou sua mão.
Pouco antes havia pensado em tudo o que havia vivido até ali, pensou no que estava por vir, pensou na futura esposa, nos filhos que teriam, se viveria para ver seus netos, bisnetos, pensou em toda a alegria que teria, seria muita, seria?
Não se preocupava, afinal, não teria mais com o que se preocupar dentro de poucos minutos.Deitou-se na cama úmida, o cheiro forte subiu e entrou em suas narinas, suas costas ensatavam encharcadas, assim como o colchão no qual se deitava.A vela era a única fonte de luz, mórbida e fraca.A chama balançava de um lado para o outro, deixava o quarto da cor de ouro, ela era sedutora, traiçoeira.
Soltou a vela sob o chão molhado e cheio de papéis, a fumaça subia, a empregada iria se enfurecer com essa sujeira toda, todas as cinzas que sobrariam depois, ele não iria ajudar, mas nunca mais sujaria nada na casa.Tudo o que havia dele na casa estava naquele quarto, todas as fotos agora queimavam, queria queimar todas as memórias, todas as provas de sua existência.Se ele pudesse queimar-se-ia na mente de todas as pessoas com quem falou, queria ser esquecido, queria nunca ter existido.Aquele era um bom dia para não existir.
As labaredas começaram a queimar a cama onde estava deitado, seu travesseiro preferido era fino, o calor começou a fazê-lo suar, seu corpo gordo nunca foi fã de calor, mas era hoje o dia em que faria amizade com as chamas.Sempre as admirou, hoje se uniria a elas num belo ritual.
A dor foi insuportável quando o fogo queimou sua pele e carte,então gritou, mas seu grito não seria ouvido.Lá fora o som tocava num volume extremamente alto, ninguém notaria nada até que o cheiro de fumaça saisse pela brecha de sua porta e se espalhasse pela casa.Seria tarde demais para tentar “salvá-lo”, não que alguém fosse fazê-lo.
Seu corpo começou a pegar fogo, ele sorriu.Não viu toda sua vida passar pelos seus olhos como dizem nos filmes.Sua carne queimava, o cheiro começou a subir, o computador ao seu lado explodiu, a televisão explodiu, a pele do rosto sumia e o osso ia aparecendo e escurecendo com as chamas, as chamas que lambiam-no por inteiro, havia decidido que nada além delas ia lambê-lo.
Estava morto, mas as chamas não ligavam, continuavam fazendo seu trabalho.Ele não deixou nota de suicídio, queria que todos o esquecessem.Todos.
Agora via as chamas tomando conta do seu quarto, olhou para os restos do seu corpo, ossos, ossos, nunca pensou que se veria tão magro. Sorriu com a ironia desse pensamento.Então chorou, chorou pela pessoa que mais odiou, pelo seu maior inimigo, chorou pela pessoa que mais o conhecia, chorou porque havia morrido.E suas lágrimas caíram sobre seu corpo morto.
Não ouviu quando ela chegou, mas ali estava.Sempre esteve esperando por esse momento.
Ela se vestia de vinho, não era negro como todos diziam, mas era linda, isso não podia negar.Uma beleza estranha, mas que chamava atenção.Seus olhos brilhavam como as chamas e o chamavam.Não precisou dizer nada, apenas um único gesto.
E ele pegou sua mão.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

9 respostas para Um domingo arruinado…

  1. anonymous disse:

    Ei man tais lendo mt as letras de raul seixas! ahuahuaahuahauahua mas fikow massa! \,,/ gostei da mudança na cor, do preto pro vermelho, e a roupa (vestido?) era de cetim? =P

  2. anonymous disse:

    triste. mas adorei a forma como vc descreveu o suicídio dele.
    vai continuar?
    quero mais! hehe
    :*

  3. anonymous disse:

    AxiIm
    kkkkk
    Ow parça… que eh isso
    Tu escreve d+
    Tah chegando perto das unhas de Graciliano Ramos, viu?!
    mas tah mt fodz o texto…
    E Afinal, teve um final feliz!!!
    Isso q importa
    😉

  4. anonymous disse:

    isso me lembrou ‘profiles de gente morta’
    tá muuuuuuuuuuuuuuuuuuuito bom, criança!

  5. anonymous disse:

    fodera!!!

    “havia decidido que nada além delas ia lambê-lo.”

    isso foi erotico ao ponto do quase gay! num digo q foi gay pq foi vc q escreveu e eu confio em vc! se fosse outro livejournal desses da vida eu jah naum colocaria minha maum no fogo…

    flw man!

    foeça e honra!

    e naum toque fogo no seu quarto!

  6. lah_leite disse:

    uuoouu!
    mt foda! foda sim! triste e feliz ao msm tmp!

    e, fazendo minhas as palavras do nersu, n toque fogo no seu quarto!

    beejo!
    =***

  7. anonymous disse:

    Pedro, isso foi funebremente lindo (se é que isso existe).

    Continue escrevendo assim! (não funebremente lindo, mas tão bem como vc está escrevendo. O que não significa que eu não queira ler mais textos funebremente lindos, mas… deixa pra lá…)
    Flw!

    Filipe Alves

  8. anonymous disse:

    Fntásticoo.
    Nada de amor.. 😀
    Táá massa!
    Como todos os outros o/

    Beijo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s