698

Subi as escadas sem preocupações, com o pé firme, pensando em mim, se eu havia conseguido. Deparei-me com um corredor cheio de gente, estava num mar de rostos conhecidos, cheiso de sorrisos de reconhecimento, daqueles que dizem oi tudo bom sem nem precisar dizer nada, inúmeras fileiras de dentes brancos se mostravam, ofuscando e brilhando, mas eu não conhecia nenhum deles e eles, certamente, não sabiam quem eu era.
Atravessei aquele deserto de almas tão cheio de vida e dobrei a esquina, tinha que subir mais um lance de escadas, estava sentindo-me até então bem, pensando em mim então me veio à tona um pensamento sobre ela e ele me guiou escada acima.
Procurei meu nome, não encontrei naquela imensa lista colada à parede. Dezenas de seres se colocavam à minha frente, bloqueavam-me a visão e eu queria ver.Contentei-me em ver o nome de um amigo e sua respectiva nota, boa, muito menor que a de costume, mas ainda assim boa, excelente. Então num momento irracional eu busquei seu nome, e lá estava ele com todas as letras, seu nome que vinha depois do meu, que eu não fiz questão de procurar, não me interesstou saber se eu havia passado ou não, o que me importava era ela. E ela se superou mais uma vez, tornou-se mais que seus professores, mais que seus amigos, e eu me senti iluminado por ela. Não procurei mais nada, nem meu nome e nem o de ninguém, fui correndo procurá-la.
Ela subia as escadas, alguém a acompanhava, não prestei atenção em quem viria a ser, parecia não saber de nada, olhei-a nos olhos, abracei-a e dei-lhe os parabéns, havia superado tanto a si mesma quanto a seus amigos, tirou a melhor nota e ela nem deu um sorriso de felicidade, a única reação foi de repulsão Saiu do meu abraço e eu me senti mal por isso. Então olhei-a novamente e seu rosto não era mais eu, estava tomado de uma dor, estava escoriado, cheio de machucados, ela sangrava, seus lábios finos estavam inchados e o canto de sua boca sangrava, ela chorava e seus olhos estavam roxos. Ela começou a gritar, mandou que eu saisse dali, gritou que era tudo culpa dela, dela e somente dela. Eu não sabia do que ela falava, mas ela continuava a assumir a culpa de tudo e suas lágrimas davam uma cor estranha ao sangue, seu rosto estava coberto por um manto negro, sujeira e sangue e lágrimas. Tentei segurá-la mas ela fugia do meu toque como se tivesse medo de que eu fosse fazer algo de mal com ela, mas ela sabia que eu a amava mais que tudo e que fazer algo contra ela era até piro que fazer algo contra mim. “Saia!” ela gritava “a culpa é minha, entende?” e suas lágrimas jorravam a cada palavra e eu comecei a me sentir péssimo, uma dor penetrou-me a alma como uma lança trespassa um corpo, meu porto seguro sucumbiu e eu iria junto. Angustiei-me, tive vontade de chorar, de abraçá-la e pedir que me deixasse amá-la porque eu saberia cuidar dela, e por um momento pensei que era disso que se tratava: ela não me queria por perto porque não era capaz de aceitar meu amor. Mas não, isso seria tolice demais, era outra coisa, algo mais profundo, eu não sei o que, não sei e ela não disse. A última coisa que me lembrou ouvi-la dizendo foi “Saia daqui! A culpa é minha, você não entende! A CULPA É MINHA!” e fugiu.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

8 respostas para 698

  1. luanrodrigues disse:

    É o ponto alucinógeno da sua doença. Meus pesames. Eu sinto inveja.

  2. linelamenha disse:

    “Procurei meu nome, não encontrei naquela imensa lista colada à parede.” (…) “seu nome que vinha depois do meu, que eu não fiz questão de procurar, não me interesstou saber se eu havia passado ou não, o que me importava era ela.” Tem certeza? axo que vc procurou primeiro o seu! esses homens, não os entendo…

    Enfim, foi peso da responsabilidade, ao meu ver.
    mas não seii… mulheres, são as mais complicadas, conseguem ser mais estranhas que vcs, num sei como alguem pode gostar de mulher…

  3. pideto disse:

    sim, eu tenho certeza que procurei primeiro o nome dela, mas minha intensão inicial ao chegar no lugar não foi ver o nome dela ou de mais ninguém, era ver o meu,mas no momento em que um só pensamento sobre ela me veio a mente esqueci o porquê de ter ido lá, fixei-me nela, só pensei nela, em como ela deveria estar feliz com aquilo, em como eu queria ver seu rosto se iluminando de felicidade ao contar a noticia, eu queria contar a noticia, queria ver sua face enrubescer com meus elogios e ela gritar de alegria e foi isso que não aocnteceu, foi incrivelmente decepcionante. foi deprimente, e eu quase chorei depois que acordei, tive vontade de ligar pra ela, tive medo de voltar a dormir.

  4. tati_voronkoff disse:

    oxeeeente!
    entendi nada! o que era culpa dela? ela estava sangrando literalmente? o que aconteceu exatamente? todo mundo resolveu fumar orégano hoje? oxe oxe oxe entendi nao, me explica pidetinhuuu! xDD

  5. tati_voronkoff disse:

    foi um sonho foi? me expliiiiiiiiiica.
    e pq esse título?

  6. pideto disse:

    foi um sonho.
    eu não sei o que era culpá dela, nem pq ela tava dizendo que era culpa dela. ela não me disse.
    e sim, ela estava sangrando de verdade, pelo canto dos lábiso, como se o rosto dela tivesse sido espancado, como se alguem tivesse batido nela, mas antes de eu falar com ela ela estava normal, apenas séria e foi ficando ferida aos poucos…até que começou a gritar q era culpa dela e a chorar e aih eu naum aguentei mais…
    aih eu acordei anguistiado e esse sonho ficou na minha cabeça ontem o dia quase todo.
    e o titulo foi a nota dela.

  7. tati_voronkoff disse:

    !!!!
    que sonho! uau! tão louco quanto os meus! hauahuhau =PP
    massa voce escrever ele =)
    mas nao se angustie, foi um sonho ^^
    =*

  8. anonymous disse:

    Uaau! oO’
    Bastante complexo!
    Que sonho….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s