Baby don't you

você dizia que eu era diferente, mas agora você percebe que não, que eu sou apenas mais um cara. que eu não sou especial e você tenta me substituir por outro qualquer, qualquer para mim, talvez não para você. e você me diz que eu não preciso sentir isso, que vocês só são amigos. agora eu te pergunto: como tudo começou? não éramos amigos antes? agora sinto-me um estranho, sinto-me invadindo sua intimidade, e o cíumes crescendo por você confiar seu dia a dia a ele e não a mim. por você falar besteiras enquanto está bêbada para ele e não para mim, por você não me mandar mais nenhum sinal de vida quando eu não mando nenhum sinal de vida.
essa noite eu tive um sonho. eu sonhei que eu estava num show com você e quando eu saí para me debater um pouco ao som de uma banda que marcou minha vida, você, na verdade, uma representação de você (ok, era outra garota, mas tudo o que aconteceu se encaixa com você no lugar dela), cedeu sua graça a outro. quando retornei aos nossos lugares você estava lá ao lado dele e eu não poderia fazer nada já que como você mesma disse: “não somos nada. somos amigos.” e como amigo, e como o homem que te deseja, eu sofro com a visão, sofro com o pensamento, sofro com o sonho. nem mesmo nele eu posso te ter.
é, eu sinto que eu estou te perdendo e eu já te disse isso.
quando eu ouço uma música eu consigo encaixar versos dela no que eu sinto por você. e percebi isso quando fiquei com “sweetest thing”, do u2, na cabeça durante toda a noite enquanto a assistia a um de seus filmes preferidos. e eu encaixei o “i’m losing you”. e, hoje, o que posso imaginar cantando para você são versos de alguém, não sei quem (eu sou o mestre dos versos roubados para fazê-los meus, eu já admiti isso), cantados pela foz de roger daltrey seguida pela bateria frenética de keith moon e o baixo sensacional de john entwistle além da guitarra barulhenta de pete townsend. “the biggest mistake was loving you too much and letting you know. don’t do it babe. don’t you break my heart”

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Baby don't you

  1. anonymous disse:

    “por você não me mandar mais nenhum sinal de vida quando eu não mando nenhum sinal de vida.”

    sad…
    mas é a verdade. ^^

  2. anonymous disse:

    “cantados pela foz de roger daltrey seguida pela bateria frenética de keith moon e o baixo sensacional de john entwistle além da guitarra barulhenta de pete townsend”
    txaaaaaaaaaaaaaaaa
    baby dont you do it! acho q ja uvi essa musica
    ficou foda man!

  3. anonymous disse:

    =/

  4. anonymous disse:

    Cara, se ele morresse no cabaré, ia ser triste e cômico, hahaha.

    E ler MAUS no micro vai ser punk. É muito denso. Quanto ao Dorian Gray, recomendo. Estou na metade do livro e achando completamente do que imaginava ser a história.

    Quanto a HQ, você tenta desenhar tb? São quase 5:30 e passei quase duas horas tentando montar a HQ pro trabalho da faculdade e NÃO consegui. Vai ser lindo qd eu chegar lá.

    Abraços,
    Pablo
    http://pablocasado.blogsome.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s