Do começo, meio e fim.

no começo era aquela excitação, aquela vontade de falar, de nunca calar e parecia, como sempre parece, que nunca nada iria mudar. mas alguns meses provaram que, como tudo o mais, isso não era nenhuma exceção. o que antes impulsionava conversas de horas e horas de duração, especulações sobre a vida o universo e tudo o mais, hoje são exterminadas com a brutalidade do não e a sequidão do sim.
a idéia de ambos juntos, sorrindo, olhando a paisagem caminhando por uma rua ensolarada às 4 da tarde ficava cada vez mais e mais distante. as nuvens cinzentas que no começo pareciam não estar lá, mostraram-se lá, onde sempre estiveram, mas ninguém fez questão de ver.
agora há irritação, inquietação, há o silêncio, duro como uma parede de concreto que serve para separá-los mais do que os quilômetros e quilômetros que, de fato, o fazem.
o futuro que fizeram foi destruído pela falta de atenção aos detalhes. ou, mais uma vez, a algo que ele fez (ou deixou de fazer) e nunca vai ter a chance de descobrir.
a casa que construíram, os filhos que tiveram, os carros que compraram, as viagens que fizeram, todas se foram porque eram feitas pela frágil matéria do sonho e nenhum sonho dura para sempre.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Do começo, meio e fim.

  1. anonymous disse:

    Infelizmente as coisas não duram, né? =/

    Ótimo texto…

  2. anonymous disse:

    Cara, faz um tempo que as séries conseguem satisfazer mais do que muitos dos filmes que vemos em cartaz, né não?

    Mas esse negócio de alugar não é comigo. Ou baixo, compro pirata (shame on me) ou original. Gosto de assistir quando me dá na telha, hehehe.

    E ainda quero mais SOPRANOSSSS.

    Abraço,
    Pablo
    http://pablocasado.blogsome.com

  3. anonymous disse:

    Sabe, acho que as pessoas deveriam ser dotadas de um ‘desconfiômetro’, para que pudessem terminar decentemente um relacionamento antes que as coisas degringolassem de vez… Acho que evitaria aquela mágoa, sabe, que muitas vezes parece ser mais forte do que as milhares de sensações boas que você teve. Mas é difícil isso – a gente sempre parece se apegar demais àquilo que tivemos, mesmo que não tenhamos mais…

    Beijo,

    Cintia
    http://designiosedesejos.wordpress.com

  4. anonymous disse:

    por isso q sonho é d graça…

  5. anonymous disse:

    uou man, esse começo ficou foda demais! \o/
    mt bom o texto. agora é partir em busca =P

    força e honra man!

  6. anonymous disse:

    CAra ta FODA isso aí, um tezto e tanto como nunca mais eu tinha lido nos nossos blogs, parece que vc voltou e bem agora man! frustrar-se com as merdas que escrevemos tapou um pouco nossa imaginação e pensamentos, mas esse texto ta entre os seus melhores

    falow man!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s