Um falso fim para um falso começo.

é que eu queria que esse fosse o fim, mas ele não é.

e você sabe o que é. você sabe que vem. que é a única certeza dessa vida. que é o risco que todos corremos por fazermos aquilo que gostamos: respirar, comer, beber, viver. e não há nada que possamos fazer para impedir isso. não há como parar as coisas. seria muito bom se pudesse, mas não podemos. ela é incontrolável, insassiável, implacável. há aqueles que acham tê-la vencido. mas ela sequer se preocupou com tal ser, ainda.
você pode criar campos onde passearemos depois, ou uma imensa frigideira para nos torrar. pode fazer o que você quiser. que hajam luzes brancas, luzes negras, luzes roxas e amarelas, que haja octarina e flicts, nesse lugar inventado para passarmos o tempo, nada disso impedirá as coisas de serem as coisas que são.
é chegado o grande momento, a hora pela qual todos esperam. a hora final do último salivar, e a doce e lenta última respiração.
não pense que é ruim ir embora. você passou boa parte da existência sem existir. você teve a chance de marcar o mundo com suas idéias, de escrever livros e plantar árvoes, perpetuar os genes. talvez você possa ter seus filhos, seus netos, até mesmo bisnetos. você pode ver como tudo o que aconteceu ali nunca teria acontecido do jeito que foi se não fosse por você. perceba o quão fantástico é tudo isso e o quanto você é abençoado pelo simples fato de poder estar aqui.
não, não é para se entristecer.
no fim da vida, vá embora com um sorriso no rosto para mostrar que sua vida realmente valeu a pena.
deixamos aqui a vida para seguir, porque nossa missão está cumprida.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

5 respostas para Um falso fim para um falso começo.

  1. vinicius disse:

    eh como se alguem tivesse morrido..

  2. diogo disse:

    q angustiante, isso é pq tu tais indo pra recife?

  3. Mina disse:

    Você falou inconscientemente com Deus nesse texto, acredite em mim.

  4. Lah Leite disse:

    bem, lembrei disso:

    “Não, eu nunca plantei uma árvore
    Não escrevi ainda um livro
    Não tenho filhos
    E mesmo assim não vejo impecilho algum para a morte.

    Mas a morte é para os fracos; e eu… bem… eu realmente tento viver.”

    beejoo PV!
    =***

  5. Tatii disse:

    ave maria, retiro meu comentario sobre o outro txt ser triste, esse me deprimiu! rsrss. mas é liindo, gostei demais!
    (afinal quanto mais deprimente mais eu gosto =P)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s