à prova de balas.

eu amo a idéia do amor. amo a idéia de amar. só de pensar em amar alguém com todas as forças e acima de tudo já me vem uma forte comoção. amo a idéia de ter alguém em quem pensar todas as horas do dia, todos os dias do mês, cada um dos 31.536.000 segundos do ano. amo a idéia de que escrevo sempre para essa pessoa especial, essa mulher especial que um dia vai dizer que me ama também e, assim, seremos felizes juntos. amo a idéia de ligar amor à felicidade, porque, para mim, elas deviam andar sempre juntas. amo a idéia de insanidade e irresponsabilidade que o amor dá. amo a idéia de que para amar deve-se fazer loucuras e viver loucuras, que antes de ser feliz com o amor, deve-se sofrer por ele, sangrar por ele. amo a idéia de ter idéias sobre o amor e tentar expô-las em textos confusos sobre o que seria o amor e como seria amá-la. amo a idéia dEla. Ela que é tudo e que me deixa cheio de idéias e de amor. ela que me deixa amando cada vez mais idéias e que me faz pensar em cada uma das idéias que já foram pensadas antes mesmo de eu começar a pensar na idéia do amor. amo as idéias que só ela me dá. e ela pode mudar, ela pode ser uma hoje ou uma outra amanhã, desde que me dê idéias sobre como é bom amá-la. desde que ela me dê idéias de como seria receber o amor que ela tem ali guardado, ou a idéia de amor que ela tem ali guardado. amo todas essas idéias que o amor me dá, porque só ele me dá as idéias que me satisfazem.

no fim, talvez eu nunca tenha verdadeiramente amado alguém, mas sempre, sempre amei e amarei idéias.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para à prova de balas.

  1. nelson disse:

    mermão…

    altamente platônico véi.

  2. Tatii disse:

    é o comentário do nelson é bem interessante, hehe…

    mas pi, vc disse tudo aí nesse final, “no fim, talvez eu nunca tenha verdadeiramente amado alguém, mas sempre, sempre amei e amarei idéias.”

    ré. ré. vc escreve coisas legais pi.
    =*

  3. Pablo Casado disse:

    Valeu, meu velho!

    Essa coisa da mudança ferrou com meus escritos – e até com minhas leituras. Li FILHO ETERNO, do Cristovão Tezza, aos pingos. Minhas leituras internéticas, então, nem se falam.

    Preciso ler seus últimos txts.

    Pode deixar que, agora que mudei e estou assentando as coisas, espero voltar a produzir regularmente.

    E a faculdade, como anda?

  4. Lah Leite disse:

    ahh, sim… acho que amar idéias é ainda melhor que amar alguém, pq as idéias sempre correspondem, sempre.
    amar pessoas é complicado, muito complicado… o amor é complicado, em si.

    mas sem amor nada tem graça, n é msm? sem amor, “nada se faz de escrito”…

    beejoo PV, eu gostei do texto =D

    =***

  5. carolina disse:

    concordo com a Lah!
    .. e viva a possibilidade de amar! seja amar idéias ou seja amar alguém
    : ]

    adoro a forma como você escreve sobre o amor
    beijos primo1

  6. vinicius disse:

    n concordo com a Lah Leite.
    amar idéias nunca será melhor que amar alguém. nunca.

  7. vinicius disse:

    e ideias nem sempre te correspondem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s