novos sonhos.

os ventos do sonhar dizem o teu nome o tempo todo. e o céu tem cores que nunca alguém teria imaginado: azuis, laranjas, vermelhos. os eternos tons cinzentos, que diziam que a chuva que cairia seria ainda maior do que a que já estava caindo, foram trocados pelas cores de espectro. e há arco íris cortando nuvens brancas como neve. o clima está afável, como se fosse um abraço de alguém que quer te proteger, te esquentar, te dar carinho. o sol brilha como nunca antes brilhou. porque antes ele não via razões para brilhar, antes ele sonhava em aparecer, mas tinha medo de ser apagado pelas águas que inundavam o mundo.

havia animais em grandes campos verdes. animais que não ousavam aparecer porque achavam que logo seria devorados pelos predadores que se escondiam nas trevas. achavam que seriam destruídos, fulminados por raios, transformados em pó simplesmente porque ousaram se expor à chuva constante do sonhar. todos se enterravam em suas tocas, tetavam se proteger de todos os males. e, às vezes, parecia que nada adiantava, que o mal os perseguia e que estavam fadados à morte certa no lugar onde a morte apenas visitava seu senhor maior.

e havia flores. flores que nunca puderam existir passaram a existir. flores que antes morriam afogadas, agora floresciam como deviam porque tudo estava perfeito. tudo estava certo para que elas existissem. porque elas agora eram necessárias para embelezar o sonhar. o sonhar deveria ser belo. belo como as milhares de estrelas que apareciam à noite para visitar os habitantes de lá. belo como os deuses que apareciam por ali para pensar. e tudo o que antes era errado agora estava certo, em seu lugar. havia flores no sonhar. flores amarelas, vermelhas, rosas, roxas, azuis. havia flores de cores que só existiam nos sonhos – e era por isso que elas estavam ali, ou em nenhum outro lugar poderiam estar. além de flores o sonhar tinha árvores frondosas. árvores belas, não mais aqueles troncos negros, úmidos, retorcidos, feios, sem folhas. não mais aqueles poleiros de corvos. e os corvos se foram, porque não havia mais necessidade deles, não havia mais carniça, não havia mais morte. a vida era a lei do sonhar. vida verde, amarela, roxa, vermelha, vida de todas as cores e todas as formas.

ele queria a vida boa para todos.

porque ela permitiu que ele visse que tudo aquilo deveria ser do jeito que era. e ele viu que era bom tudo aquilo porque era bom estar com ela, falar com ela, sentir seu cheiro, seu sabor, ouvir suas palavras doces e ver seus gestos simples. e, para ele, nada era mais lindo do que os leves movimentos que seu tórax fazia ao respirar, o leve subir e descer o hipnotizava e ele poderia passar horas e horas só observando enquanto ela tinha os sonhos que ele dava para ela, os sonhos mais lindos que ele já fez. e ele só olhava, porque ali estava a coisa mais linda do sonhar. deitada ao seu lado, exalando perfume, emanando seu calor tão necessário e tão forte que descongelou a estrutura do sonhar e remendou o coração dele.

e ele dava o amor para ela. e ele precisava do amor dela para ele. o amor dela, para ele, era o princípio de tudo. uma nova fase, uma nova vida, um novo Sonho.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para novos sonhos.

  1. nelson disse:

    “…deitada ao seu lado, exalando perfume, emanando seu calor tão necessário e tão forte que descongelou a estrutura do sonhar e remendou o coração dele.”

    caralho.

    foda man!

    preparando para o ultimo xeque
    vislumbrando um xeque-mate

    força e honra!

  2. Luan disse:

    Be careful, man.

    Força e honra!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s