àqueles que acreditam.

crer é uma das coisas mais admiráveis. admiro verdadeiramente aquele que crê. não apenas o que diz que acredita. dizer que acredita é muito fácil. dizer qualquer coisa é muito fácil. posso abrir a boca a qualquer momento e dizer que acredito. dizer que perdôo, dizer que sinto muito. posso dizer qualquer coisa com meus lábios, língua e cordas vocais, posso escrever qualquer coisa com minhas mãos e os instrumentos precisos. mas acredito que verdadeiramente acreditar é difícil, quase impossível para muita gente. admiro aqueles que verdadeiramente crêem. (muita verdade e crença num parágrafo tão pequeno, mas é isso que penso.)

quando falo em verdadeiramente crer, eu falo dos extremos, falo daquele que, ante a prova de que tudo o que crê está errado, continua acreditando. admiro aquele que escolhe não perceber as coisas para se sentir bem, porque o faz somente para se sentir bem, mas cuja escolha não é tão racional assim, é movida apenas pela crença no que ele não entende, no que ele jamais entenderá. ou numa explicação que pode ser simples e fácil, mas para ele diz tudo. admiro os ignorantes que acreditam que a resposta está em uma coisa só. admiro aqueles que pegam um livro e dizem que a verdade está nele e apenas nele. independente do livro, independente das pessoas. admiro quem acredita piamente em algo que não faz sentido.

admiro, na verdade, aquele que acredita que vale a pena fazer sacrifícios por coisas que ninguém mais faria sacrifícios. admiro aquele que acredita que vale a pena morrer por coisas que não representam certezas. admiro quem acredita que não precisamos de certezas para certas coisas. admiro quem acredita que vale a pena matar por algo, vale a pena morrer por algo, vale a pena ir para onde quer que seja por esse algo. (sim, isso foi uma paráfrase quase citação de sin city e eu digo porque pouca gente notaria e quero que notem.)

admito que admiro os ignorantes, porque é deles, e somente deles, o reino dos céus. admiro-os porque eles têm a força para seguir adiante sempre. admiro-os porque jamais conseguirei ser um deles. e não é que eu não seja ignorante, é que eu simplesmente não consigo usar minha ignorância para acreditar tanto e tão intensamente em algo.

nada me interessa, em instante nenhum. nem flávio cavalcante, nem mais nada que passe na tv.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

7 respostas para àqueles que acreditam.

  1. tonynimrod disse:

    bem, tudo isso que você falou eu acho que tem só uma definição: FÉ.

    e fé não tem nada relacionado a religião. fé é a firme convicção de que algo seja verdade, sem nenhuma prova de que este algo seja verdade, pela absoluta confiança que depositamos neste algo ou alguém.

    daí, se você vai ter em algo ou alguém, é só você e mais ninguém que vai saber, que vai sentir.

    não sei dizer se é bom ou ruim, se é certo ou errado. mas uma coisa eu sei, é perigoso. então aí entra a questão se vale correr o perigo por algo ou por alguém.

    falei muito e não falei nada, tsc.

  2. nelsonnetto disse:

    como já dizia alguém em algum lugar… os ignorantes são felizes.

    “nada me interessa, em instante nenhum. nem flávio cavalcante, nem mais nada que passe na tv.”

    e esse é o nosso mal.

  3. Vejo que admiras cabeças duras tbm, chuchu.
    Eu acho foda alguém acreditar em algo tbm. Mesmo que eu diga que não, lá no fundo, eu quero acreditar e eu acredito.
    Mas grande parte do tempo, minha boca diz que não.

  4. Marden disse:

    É engraçada a vida, man.
    Você adimira aquilo que eu mais desprezo na humanidade.

  5. Ludmila disse:

    acho que o pior dessa questão é acreditar ouvindo dos outros que é insanidade. tsc. mas que se danem os outros, não? é só vestir-se um pouco de realidade.

  6. Lah disse:

    “dizer qualquer coisa é muito fácil. posso abrir a boca a qualquer momento e dizer que acredito. dizer que perdôo, dizer que sinto muito. posso dizer qualquer coisa com meus lábios, língua e cordas vocais, posso escrever qualquer coisa com minhas mãos e os instrumentos precisos.”

    mas não é que é, mesmo?

  7. Ju disse:

    que engraçado ter lido isso hoje. essa semana, na aula de filosofia – que vc faltou, por sinal – o professor citou Raul Seixas dizendo: ‘queria eu ser ingnorante!’. achei fooda. e o texto tmb. :}

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s