julho.

julho começou dizendo a todo o resto do ano antes dele: “vejam só o que é um mês de verdade!” mas, apesar de todas as alegrias, ele veio com um pouco de tristeza.

então ele começou com uma ida à barra de são miguel com um bando de amigos e, lá, o sol foi nosso amigo, os mosquitos foram nossos amigos, o futebol foi meu amigo e até mesmo a piscina do vizinho que não estava em casa foi nossa amiga.

depois houveram as saídas quase diárias para locais quaisquer para fazer qualquer coisa: conversar, beber, conversar, jogar, conversar, beber, ficar bêbado de tanto conversar, conversar tanto que se fica com vontade de beber, dar em cima de gostosas sóbrio, levar foras de gostosas sóbrio, dar em cima de gostosas bêbado, levar fora de gostosas bêbado, dar em cima de feias bêbado, torcer para levar fora de feias bêbado – entre o começo da cantada e o fim dela os pensamentos de “o que porra é que estou fazendo? ela é feia!” martelam milhares de vezes na mente.

julho também significou pessoa especialíssima que está entre nós mais uma vez. e isso foi uma alegria que eu não consigo explicar muito bem com palavras que tentam simplesmente dizer o que aconteceu. se eu dissesse que ela estava lá e agora não mais estava para estar cá, não seria explicativo o suficiente, porque isso não diria o quanto ela fez falta cá. e se eu dissesse o quanto ela fez falta, pareceria simplesmente algo inventado para ficar poético ou qualquer coisa assim. mas não, não seria essa a intensão. então dizemos apenas que uma das coisas mais lindas está de volta trazendo o calor capaz de derreter a sibéria.

em julho houve até uma expedição aos confins do benedito bentes, num ato de extrema coragem de um grupo de amigos dispostos a visitar uma amiga que é das mais queridas – e, acredite ou não, voltamos todos vivos de lá, apesar de qualquer coisa que possam dizer.

mas, como foi dito, julho molhou seus pés em tristeza, porque nele uma vida chegou ao fim do seu ciclo e deixou alguém que amo triste.

então, pouco antes do mês findar, as aulas voltaram e a alegria que havia quase deixou de haver. uma verdadeira pena. mas o que vinha está aqui para surpreender quem diz que o mês seguinte é um tanto desgostoso.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para julho.

  1. isabelle disse:

    essas ferias colegiais sao o maximo neh, um mes no meio do ano, dois no final…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s