palavras.

eu acredito nas palavras. acredito nelas como aqueles que acreditam em deuses e anjos e cidades de prata flutuantes, onde o chão nunca é tocado acreditam; como os que crêem no anjo da luz caído e em seus lacaios demônios, que reinam sob a terra em seus seis círculos, crêem; e como aqueles que acham que o sobrenatural existe de fato e checam sempre seus horóscopos e seus supostos futuros nas cartas de um baralho velho ou nas linhas de suas mãos marcadas e todo esse tipo de bobagem mística/esotérica que eu não acredito, porque parecem tolas e forçadas demais para minha cabeça. mas se há algo em que acredito de verdade nesse mundo imenso são nas palavras. sim, as palavras, aquelas coisas que lemos, que falamos, que escrevemos. acredito mesmo nelas e creio que elas têm um enorme poder. não o tipo de poder que é atribuído às entidades supracitadas, mas aquele que é capaz de mudar as coisas que nos cercam como quase nada mais no mundo pode fazer, mudanças sérias e pra valer. as palavras encerram em si um poder cru – algo que seria magia, se ela existisse, a magia bruta quase miraculosa – que nenhum homem na existência pensou ser capaz de ter, mas tem, porque palavras são tudo o que temos uns dos outros, o que mais damos uns aos outros. palavras são tudo aquilo que construímos e guardamos de cada um, por menos que pareçam palavras, se disfarçando atrás de atos e lembranças e imagens que parecem indescritíveis, tudo se resume a palavras, mesmo que não saibamos bem quais.
as palavras, no entanto, sempre estão lá, sendo o que são desde que começaram a ser, tendo a influencia que sempre tiveram em todos nós, meros humanos, como sempre, mas quando elas se disfarçam, elas se enfraquecem, perdem sua admirável e bela objetividade. quando uma frase qualquer – vamos escolher o clássico “eu te amo”, afinal, quem não gosta de clássicos, bom sujeito não é – se esconde atrás de um olhar ele não é o mesmo que um “eu te amo” dito pela primeira vez bem baixinho como um segredo entre o dono das cordas vocais e o do ouvido no qual as palavras são surssurradas; também não é um abraço quente e confortável ou um beijo apaixonado – e hoje em dia, beijos apaixonados quase nunca valem um “eu te amo” (é incrível como se pode se dar beijos apaixonados quando não há paixão nenhuma) -, ele é um olhar que quis dizer “eu te amo”, mas por algum motivo pode ter se perdido no meio do caminho extenuante que é o dizer o que se quer sem parecer demasiado confuso ou subjetivo como eu estou parecendo agora. e quando um poder tão grande quanto o da palavra se dissipa, se perde através de conversões como se perde parte da energia de um motor em calor – vejamos aqui as palavras como energia e seus disfarces como convertores, transformadores de uma energia em outra, transmutando a energia bruta que vem das palavras em uma energia menor, gasta, perdida em algumas coisas supérfluas.
com palavras pode-se fazer de tudo: uma frase, uma ordem, uma pergunta, um longo texto elogiando a beleza de uma mulher ou uma curta carta recusando os talentos de alguém que se propõe e ser utilizado, pode-se fazer uma música, um livro, uma árvore, um filho, uma vida de verdade, com todas as suas complexidades e alegrias e tristezas e vergonhas e constrangimentos e monotonias e sonhos e desesperos e desejos e delírios e destruição e doenças e saúdes e miséria e riqueza e até mesmo toda uma mitologia de seres superpoderosos que podem fazer o que quiserem a qualquer horas e os locais onde dizem que habitam, seja um monte grego ou um céu azul e límpido, ou metrópolis ou star city ou um lugar que palavras quase não parecem o suficiente para descrever, mesmo sabendo que não existe tal coisa e o que falta, na verdade é imaginação para criar a palavra certa e usá-la no exato contexto que é pretendido, mas mesmo sem saber descrever tudo o que nunca viram, a imaginação os faz usar palavras como essas: “setenta e duas virgens”, ou ainda “setenta e duas uvas brancas” ou ainda “um banquete eterno onde será servido das melhores comidas já criadas e imaginadas.” e assim como as palavras podem criar a vida a seu bel prazer, ela pode muito bem acabar com ela quando bem entender. a morte, na verdade, não passa de uma palavra e não é nem tão grande assim, mas ainda assim é maior que a vida, possui um peso maior quando postas na balança dos significados. com algumas palavras certas numa determinada ordem, pode-se executar as mais incríveis proezas que um ser humano poderia imaginar, pode-se dizer que no fim de semana que passou você conseguiu comer a garota mais linda da escola/faculdade/trabalho e, dependendo da tua confiabilidade, essa mentira pode se espalhar mais do que a verdade, que você passou o fim de semana estudando e jogando videogame. pode-se com algumas letras em conjunto, começar os relacionamentos mais maravilhosos que duas pessoas podem ter, assim como pode acabar completamente com amores e amizades. estava eu a pensar hoje mesmo sobre como escolhemos não dizer certas coisas a pessoas que sabemos que se sentirão machucadas por causa disso, sabemos que há riscos demais em proferir certas sentenças e que, muitas vezes, simplesmente não vale a pena perder uma pessoa tão especial por causa de uma meia dúzia de palavras verdadeiras. mas cada um de nós talvez conheça as poderosas palavras capazes de destruir as grandes amizades e os maiores amores.
as palavras têm mais poder do que as palavras podem dizer e não há uma palavra que possa dizer que não. nem mesmo o não.
para mim, palavras são tudo. talvez haja quem não acredite na importância delas, mas mesmo assim, sem que percebam, têm sua vida comandada por essas entidades que não acreditam que tenham poder. as palavras,  por muitas vezes – e isso acontece com mais frequência do que se espera e se é adequado- , não são tão claras quanto deveriam. como dissemos, podem ser extremamente subjetivas, e em determinados momentos parece que simplesmente não há formas de compreender o que elas querem dizer. no entanto, tento entender tudo o que posso entender, mas nem sempre as palavras são claras para mim.

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

6 respostas para palavras.

  1. Isabelle disse:

    “simplesmente não vale a pena perder uma pessoa tão especial por causa de uma meia dúzia de palavras verdadeiras”
    É uma das verdades perigosas de ser anunciada.

  2. Tony disse:

    palavras podem destruir mais que quaquer bomba atomica.

  3. nelsonnetto disse:

    cara, achei o texto muito foda e acho que faz tempo que não digo que um texto seu é foda porque tento ser o mais claro possível. dessa vez foda é a palavra.

    “palavras são tudo aquilo que construímos e guardamos de cada um, por menos que pareçam palavras, se disfarçando atrás de atos e lembranças e imagens que parecem indescritíveis, tudo se resume a palavras, mesmo que não saibamos bem quais.”

    fatão.

    “a morte, na verdade, não passa de uma palavra e não é nem tão grande assim, mas ainda assim é maior que a vida, possui um peso maior quando postas na balança dos significados.”

    achei foda isso!

    “mas cada um de nós talvez conheça as poderosas palavras capazes de destruir as grandes amizades e os maiores amores.”

    é foda quando a gente se questiona sobre falar essas coisas ou não, ou ainda quando as pessoas não dãos às palavras a dimensão que vc dá.

    gostei muito do 2º paragrafo em especial, mas tá td mto legal.

    o final achei meio “osvaldo”, mas ainda ficou bom.

    texto foda, man.

    FH

  4. Pra mim também não. E eu que sou tão complicaad. Tudo o que eu queria eram palavras fáceis de se entender, mas eu sempre vejo tudo junto e misturado.
    Mal da humanidade, será que isso muda?
    🙂

  5. Ana Clara disse:

    Pra mim palavras também são tudo, afinal vc pode resolver tudo com palavras, que logo dependem de atitudes…mas tbm as vezes é melhor levar uma pisa do que ouvir certas palavras! uahsuha

  6. Marden disse:

    Fodão, man.

    As palavras realmente tem muito poder e você conseguiu captar bem a magia da coisa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s